sexta-feira, 4 de março de 2011

"Ponto da Situação: Recandidato… ou já chega?" - Artigo de Opinião publicado no Correio dos Açores de ontem

03 Março 2011 [Opinião] publicado no Jornal Correio do Açores
"Ambiente – Não queria acreditar no que ouvi. O Secretário Regional do Ambiente, perante o problema dos esgotos que dão para a que muitos consideram ser, “a melhor onda dos Açores”, na ilha Terceira, que se arrasta há pelo menos dois anos, responde dizendo que “até à próxima época balnear, seja de qualquer maneira, o problema estará resolvido”. Então, este assunto que está pendente na sua secretaria há tanto tempo, não mereceu uma reflexão profunda para a sua resolução? E o Secretário reage dizendo “de qualquer maneira”??? Aposto que será uma solução (mais uma) em cima do joelho, sem qualquer nexo e sem respeitar as especificidades do local. Há que ter muito cuidado nesta intervenção, de modo a não por em risco a qualidade das ondas, tal como fizeram com o projecto do porto de Rabo de Peixe."(...) Artigo completo (aqui)

Autor: Paulo do Nascimento Cabral

Sem comentários:

Publicar um comentário

Por opção editorial, o exercício da liberdade de expressão é permitido, excluindo,todos os comentários anónimos com linguagem inapropriada, considerada abusiva, que serão imediatamente apagados. Nas caixas de comentários abertas ao público disponibilizadas pelo Wave Riders Açores em www.waveridersacores.com. Os textos aí escritos podem, por vezes, ter um conteúdo susceptível de ferir o código moral ou ético de alguns leitores, pelo que o Wave Riders Açores não recomenda a sua leitura a menores ou a pessoas mais sensíveis.

As opiniões, informações, argumentações e linguagem utilizadas pelos comentadores desse espaço não refletem, de algum modo, a linha editorial ou o trabalho do Wave Riders Açores.

O Wave Riders Açores reserva-se o direito de proceder judicialmente ou de fornecer às autoridades informações que permitam a identificação de quem use as caixas de comentários em www.waveridersacores.com para cometer ou incentivar atos considerados criminosos pela Lei Portuguesa, nomeadamente injúrias, difamações, apelo à violência, desrespeito pelos símbolos nacionais, promoção do racismo, xenofobia e homofobia ou quaisquer outros.