domingo, 15 de setembro de 2013

O Monopólio das ondas e dos U.S. DOLLARS nos AÇORES

O Dollar surfer

O verdadeiro surfista tem preocupações ambientais, não gosta de ver a praia com lixo, gosta de viajar pelo mundo à procura de ondas, sem muito crowd, sem poluição e no meio da natureza. Persegue o sonho da busca incessante da onda perfeita, por onde passa faz amigos, mistura-se com os locais, vivência a sua cultura, os seus hábitos, as suas tradições, a sua gastronomia e, acima de tudo respeita as vivências experiênciadas e a hospitalidade dos locais.
 Infelizmente em São Miguel e também por outras ilhas dos Açores, temos vindo a assistir nos últimos anos por parte de algumas pessoas, (que a comunidade das ondas em São Miguel e dos Açores, sabe bem quem são), ao aproveitamento da boa hospitalidade dos micaelenses e dos açorianos em geral, passado algum tempo, verificamos que se tratavam apenas de pessoas oportunistas, interesseiras, simpáticas demais para ser verdade, e que apenas se aproveitaram da boa hospitalidade local  para depois nos "espetarem uma faca nas costas" e destruírem o que a comunidade local tem há muito preservado. Contudo os wave riders locais não são ingénuos e rapidamente perceberam as intenções destes impostores, e a prova é que, um deles, faz agora um ano, foi expulso da água por vários surfistas e bodyboarders que estavam presentes na Praia do Pópulo nesse dia, quem viu refere que a cena não foi bonita de ver e, é sabido junto da comunidade local que essa "Jibóia" (Nome porque é conhecido na sua terra) não vai ter uma passadeira vermelha sempre que tentar surfar nas "nossas" ondas.
Os surfistas açorianos são conhecidos por serem hospitaleiros, mas é, para quem o merece.!!!

Sem comentários:

Publicar um comentário

Por opção editorial, o exercício da liberdade de expressão é permitido, excluindo,todos os comentários anónimos com linguagem inapropriada, considerada abusiva, que serão imediatamente apagados. Nas caixas de comentários abertas ao público disponibilizadas pelo Wave Riders Açores em www.waveridersacores.com. Os textos aí escritos podem, por vezes, ter um conteúdo susceptível de ferir o código moral ou ético de alguns leitores, pelo que o Wave Riders Açores não recomenda a sua leitura a menores ou a pessoas mais sensíveis.

As opiniões, informações, argumentações e linguagem utilizadas pelos comentadores desse espaço não refletem, de algum modo, a linha editorial ou o trabalho do Wave Riders Açores.

O Wave Riders Açores reserva-se o direito de proceder judicialmente ou de fornecer às autoridades informações que permitam a identificação de quem use as caixas de comentários em www.waveridersacores.com para cometer ou incentivar atos considerados criminosos pela Lei Portuguesa, nomeadamente injúrias, difamações, apelo à violência, desrespeito pelos símbolos nacionais, promoção do racismo, xenofobia e homofobia ou quaisquer outros.