quarta-feira, 31 de maio de 2017

Resorts a sair como se fossem pipocas...

Capa do Açoriano Oriental de 31/05/2017

Notícia publicada no Correio dos Açores online de 31.05.2017
"Vai chamar-se Hotel Monte Verde a nova unidade hoteleira de cinco estrelas que vai surgir dentro de um ano e meio na Ribeira Grande, mesmo em frente à praia que lhe vai dar nome. 
O novo hotel representa um investimento de 16 milhões de euros e é da responsabilidade do Grupo AçorSonho, que projecta assim a terceira unidade hoteleira do Grupo na costa Norte de São Miguel. O projecto de arquitectura é da responsabilidade da M-Arquitectos e apresenta-se como um “resort urbano” com uma forte aposta na vertente de bem-estar, com um Spa “com algumas novidades”, zona verde e acesso directo à praia através de um parque urbano. Com uma área total de 12 mil metros quadrados, o novo hotel terá três pisos com 153 quartos diferenciados e com capacidade máxima de alojamento para 400 pessoas. 
Além de sala de conferências com capacidade para 150 pessoas e um restaurante para 300 pessoas, o novo hotel deverá ser responsável por 70 postos de trabalho, beneficiando da requalificação da frente mar naquela zona, da responsabilidade da Câmara Municipal da Ribeira Grande, que ali fará surgir uma praça e um parque urbano. 
Um projecto que foi ontem apresentado ao Vice-presidente do Governo Regional, Sérgio Ávila, e que o promotor do Grupo AçorSonho prevê que “venha a ser mais um produto de sucesso tal como os que temos a funcionar”.
Victor Câmara especificou que o Hotel Monte Verde será “muito diferenciador já que tem uma forte componente de Spa e Wellness Center que vamos aliar à própria Ribeira Grande, que tem as termas e as caldeiras”. Apresentando-se como um hotel urbano, já que ficará localizado na Avenida Dr. José Nunes da Ponte, em frente ao Arquipélago-Centro de Artes Contemporâneas dos Açores, a nova unidade hoteleira terá também uma vasta zona verde e portanto “será urbano mas com características muito diferenciadas, um produto único”, afirmou Victor Câmara. 
Para o responsável pelo Grupo garante que o novo projecto “para além de requalificar, vem dar muito dinamismo àquela zona, e será de extrema importância para a envolvência e para a cidade da Ribeira Grande”. Um projecto que, após o investimento nos terrenos, na arquitectura e depois de todos os projectos aprovados, deverá ter início ainda este ano ou, no máximo, no início do ano que vem, prevendo-se que a construção demore entre um ano e meio e dois anos. 
O investimento de 16 milhões de euros terá três pisos, juntamente com um piso inferior onde funcionará o Spa, e por isso Victor Câmara desvaloriza qualquer crítica negativa que possa surgir dos habitantes dos prédios que ficarão por detrás, junto ao Arquipélago. “Estamos a propor um prédio bastante razoável. São terrenos que estavam disponíveis e cujo plano prevê a construção. O projecto está devidamente enquadrado, pensado, planeado, e acho que não deverá haver grandes críticas negativas, mas sim positivas”, devido à requalificação que irá trazer ao local que neste momento tem apenas pastagem.
Natural da costa Norte de São Miguel, o empresário acredita que também aquela costa até aqui pouco explorada “é soalheira e muito bonita e merece algum desenvolvimento. Já há muitas coisas em Ponta Delgada e há oportunidade de desenvolver aquela costa” já que turista que procura os Açores “procura natureza, sossego e a costa Norte ainda oferece um lado mais selvagem e agreste mas com natureza que vale a pena”.

Aumento de projectos privados
O Grupo AçorSonho foi apresentar o novo hotel de cinco estrelas ao Vice-presidente do Governo Regional “que tem como aposta o turismo e tem apelado aos empresários que façam a sua parte”, sendo que Victor Câmara referiu que o Grupo AçorSonho, que é detentor do Hotel Vale do Navio e dos Apartamentos AçorSonho, ambos nas Capelas, e do hotel de 5 estrelas Pedras do Mar Resort, nos Fenais da Luz, não está à procura de novos investidores para este projecto uma vez que o Grupo “é familiar e continuará a ser”.
O Vice-presidente do Governo Regional, Sérgio Ávila, explicou que o Executivo irá apoiar o projecto no âmbito dos sistemas de incentivos existentes, “que permitem um apoio significativo de comparticipação”, referindo que o investimento agora apresentado “é muito importante e significativo”.
Sérgio Ávila acrescentou que este projecto é apenas um exemplo do “incremento bastante significativo do investimento privado nos Açores”, dando conta que já deram entrada 576 candidaturas “no âmbito do nosso sistema de incentivos, o que representa um investimento de 263 milhões de euros projectados”. 
Uma prova que as intenções de investimento privado na Região têm vindo a concretizar-se, não só no turismo mas também noutras áreas, já que o Governo Regional tem entre mãos “nos últimos três meses, um conjunto muito vasto de novas intenções de investimento, quer através de processos de captação de investimento externo que temos vindo a fazer, quer através de contactos que têm estabelecido connosco, que permite perspectivar um incremento ainda maior, com muito capital externo à Região”.
Questionado pelos jornalistas no final da reunião, Sérgio Ávila referiu que ainda há espaço para surgirem novos hotéis na Região já que “o espaço e o limite estão definidos no âmbito do planeamento que existe. As regras estão estabelecidas e estamos num processo de crescimento consolidado no sector do turismo, já que a rentabilidade de quarto tem vindo a aumentar e é um processo que se consolida a cada passo. Não só no Turismo mas muitos outros sectores têm registado um enorme incremento de intenções de investimento sólidas, de grupos económicos bastante fortes”, concluiu o Vice-Presidente do Governo Regional. "
               

Sem comentários:

Publicar um comentário

Por opção editorial, o exercício da liberdade de expressão é permitido, excluindo,todos os comentários anónimos com linguagem inapropriada, considerada abusiva, que serão imediatamente apagados. Nas caixas de comentários abertas ao público disponibilizadas pelo Wave Riders Açores em www.waveridersacores.com. Os textos aí escritos podem, por vezes, ter um conteúdo susceptível de ferir o código moral ou ético de alguns leitores, pelo que o Wave Riders Açores não recomenda a sua leitura a menores ou a pessoas mais sensíveis.

As opiniões, informações, argumentações e linguagem utilizadas pelos comentadores desse espaço não refletem, de algum modo, a linha editorial ou o trabalho do Wave Riders Açores.

O Wave Riders Açores reserva-se o direito de proceder judicialmente ou de fornecer às autoridades informações que permitam a identificação de quem use as caixas de comentários em www.waveridersacores.com para cometer ou incentivar atos considerados criminosos pela Lei Portuguesa, nomeadamente injúrias, difamações, apelo à violência, desrespeito pelos símbolos nacionais, promoção do racismo, xenofobia e homofobia ou quaisquer outros.