quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Na onda com ...Miguel "Biskoito" Mendonça

Fomos falar com o homem que "anda a correr" o mundo no cartaz do Azores Islands Bodyboarding Festival. Fica a conhecer este wave rider na entrevista em baixo.



O que é que sentiste ao ver a tua fotografia (tirada pelo Paulo Melo) como cartaz do 1.º Azores Islands Bodyboarding Festival?

Bem, qualquer pessoa dos açores podia ter tido a sua foto no cartaz, pois o que menos falta é açorianos a partir tudo, mas senti-me bastante contente por ter sido escolhida essa foto, pois isso é sinal que estou evoluindo e espero continuar a evoluir. Obrigado a todos que fizeram com que fosse a foto do cartaz e claro ao Paulo Melo pelo grande esforço por estar todos os dias em Santa a tirar grandes fotos, o que só nos faz evoluir cada vez mais.
Nome: Miguel da Silva Mendonça
Como surgiu a alcunha de Biskoito? A alcunha foi dada pelo meu irmão, porque sempre que o padeiro vinha a casa deixar o pão, lá ia eu buscar dois sacos de biscoitos.
Idade: 23
És Local de(a): Ilha Terceira
Anos de Bodyboard: 8 anos
Patrocínios: Nenhum
Comida preferida depois da surfada: Cheeseburguer da Base hahaha
Banda favorita para a surfada: Linkin Park
Estilo de música favorito: Rock
Livro favorito: O que tenha mais fotos de bodyboard :)
Filme favorito: Família
Viagens:
- já realizadas: Ilhas e Continente
- que gostarias de realizar: Canárias, Austrália e Indonésia
Competição ou Free-Surf: Free-Surf
Manobra favorita: Invert Air
Onda de Sonho: Mandurah Wedge na Austrália
Maior “Wipe out”: O Wipe out mais marcante foi logo nos primeiros meses de início ao bodyboard, como surfava sempre com o Samuel Barcelos, e ele já tinha mais experiência no bodyboard, para não ficar a ver, também decidi entrar em Santa Catarina. Então apanhei uma esquerda, ela fechou uma secção á frente e como eu não sabia fazer kick out’s, fui sempre para a frente agarrado á prancha para cima das pedras. Este nem foi o Wipe out mais marcante fisicamente, mas sim foi o mais marcante psicologicamente, pois por causa de me meter numa onda que não era para iniciação fiquei uns bons anos com medo de dropar ondas de meio metro, pois mais parecia que elas tinham 3 metros e que eu ia para a pedra outravez.
Melhor onda dos Açores: Ainda está para ser surfada, mas a que me diverti mais a surfar, foi um Wedge na Praia dos Areais em S.miguel.
Bodyboarder Internacional favorito: Pierre Louis Costes
Bodyboarder Nacional favorito: Luis “Porkito” Perreira
Bodyboarder Açoriano favorito: Carlos Leal (simplesmente porque é uma pessoa humilde que encoraja a evolução de qualquer pessoa, é graças ao Carlos Leal que hoje em dia dropo ondas maiores e vou evoluindo). Obrigado Carlão!
Clube: Associação de Surf da Terceira (A.S.T)
Habilitações: 12º Ano, Curso Técnico de Construção Civil
Profissão actual: Estudante
Outros desportos que praticas: Quando não há ondas, vou sempre pelos desportos que os amigos fazem (Windsurf, Skateboarding).

7 comentários:

  1. Ya boa entrevista boy! estás forte :D

    ResponderEliminar
  2. Tu mereces Biscoitinho tá alta foto ,parabéns ,quando cá vieres é mcflurry`s sempre "pra dentre" ahahahah beijinho grande :))

    ResponderEliminar
  3. Eu é que agradeço pela vossa companhia nesses dias e parabéns, mereces esse cartaz sim senhor. Continua forte e frontal, nas ondas e na vida. abraço

    ResponderEliminar
  4. eu pensava q tu nao gostavas de musica!! lol

    ResponderEliminar

Por opção editorial, o exercício da liberdade de expressão é permitido, excluindo,todos os comentários anónimos com linguagem inapropriada, considerada abusiva, que serão imediatamente apagados. Nas caixas de comentários abertas ao público disponibilizadas pelo Wave Riders Açores em www.waveridersacores.com. Os textos aí escritos podem, por vezes, ter um conteúdo susceptível de ferir o código moral ou ético de alguns leitores, pelo que o Wave Riders Açores não recomenda a sua leitura a menores ou a pessoas mais sensíveis.

As opiniões, informações, argumentações e linguagem utilizadas pelos comentadores desse espaço não refletem, de algum modo, a linha editorial ou o trabalho do Wave Riders Açores.

O Wave Riders Açores reserva-se o direito de proceder judicialmente ou de fornecer às autoridades informações que permitam a identificação de quem use as caixas de comentários em www.waveridersacores.com para cometer ou incentivar atos considerados criminosos pela Lei Portuguesa, nomeadamente injúrias, difamações, apelo à violência, desrespeito pelos símbolos nacionais, promoção do racismo, xenofobia e homofobia ou quaisquer outros.